sexta-feira, 24 de abril de 2009

A canção dos adultos

Parece que crescemos mas não,
somos ainda do mesmo tamanho.
As coisas que à nossa volta estão
é que mudam de tamanho.

Parece que crescemos mas não crescemos,
foram as coisas grandes que há,
o amor que há, a esperança que há,
que ficaram mais pequenos.

Estão agora tão distantes
que às vezes já mal as vemos.
Por isso parece que crescemos
e somos maiores que antes.

Mas somos ainda como dantes,
talvez até mais pequenos
quando o amor e o resto estão distantes
que nem vemos como estão distantes.

Julgamos então que somos grandes
e já nem isso compreendemos!
Manuel António Pina

in Pinto, Avelino, A dinâmica do relacionamento interpessoal, Instituto de Emprego e Formação Profissional

1 comentário: